Consultoria e rede de apoio

Por Carla Bottino

Apesar da importância das empresas familiares para a economia mundial, existem poucos estudos sobre esse tipo de organização, principalmente porque ela traz consigo uma série de mitos e preconceitos que até bem pouco tempo a colocavam em uma posição de instituição antiquada, inadequada, nada séria e que, por isso, não merecia a atenção dos estudiosos.

Parece que o cenário está mudando. Embora o número de publicações e estudos sobre as empresas familiares seja pequeno (e no Brasil ele ainda é menor), podemos observar um crescente interesse pelo tema; pessoas que trabalham para esse tipo de organização – sejam elas advogados, consultores, contadores, psicólogos – parecem ter percebido que as empresas familiares possuem características, problemas e desafios específicos e que as teorias de administração não são (ou não seriam) as mais adequadas para analisar e compreender as questões pertinentes às empresas administradas por famílias. É dever da Administração “cuidar” da empresa disponibilizando técnicas e ferramentas de gestão e isso ela faz muito bem.

Nos últimos 30 ou 40 anos vem sendo desenvolvido, nos Estados Unidos e na Europa, um novo corpo teórico a respeito das empresas familiares e, organizações como o FBN- Family Business Network, na Suíça e o FFI – Family Business Institute, sediado nos EUA foram criadas para ajudar no trabalho de profissionais que lidam diretamente com esse tipo de empresas, investigando questões relacionadas, sobretudo à sucessão e profissionalização das empresas familiares e formação e profissionalização dos herdeiros.

O Family Business Network tem um capítulo no Brasil que promove encontros para as novas gerações, workshop e outras atividades para os associados. No site www.fbn-br.org.br – você pode encontrar uma série de informações.

Ao contratar um serviço de consultoria – todo cuidado é pouco!

Ainda é preciso tomar cuidado com uma série de consultores que se diz especialista em empresas familiares por trabalharem, principalmente, na implementação de processos e de novas ferramentas de gestão em empresas administradas por famílias.

Encontramos muitos profissionais extremamente competentes, que realizam seu trabalho de forma séria, ética, trazem resultados significativos para a empresa familiar e são especialistas em gestão de empresas. Se você estiver precisando de um consultor para a área de gestão, está perfeito.
O que vai definir se o profissional é especialista ou não em empresas familiares é a forma de atuação e, sobretudo, o objetivo da sua intervenção.
Embora muitos (ou praticamente todos) consultores de empresas considerem as empresas familiares como um sistema formado por pelo menos 2 subsistemas – família e empresa – o seu foco de intervenção vai ser em um deles. De fato, alguns aspectos podem dificultar o olhar e a atuação ampliados, a saber:

– são negócios de família, ou seja, assuntos pessoais;

– estudar empresa e família ao mesmo tempo não é uma tarefa simples, pois, além de os pesquisadores estarem presos em seus paradigmas, resultantes da sua formação acadêmica (Administração de empresas ou Psicologia), as normas sobre o comportamento empresarial adequado fazem com que os membros da organização neguem uma possível influência da empresa na dinâmica familiar e da família na dinâmica organizacional.

– a premissa de que trabalho e família não se misturam faz com que os profissionais das duas áreas fiquem restritos a sua área de saber, mesmo quando o assunto são as empresas familiares, etc.

Então, ao contratar um serviço de consultoria é preciso ter em mente o que se deseja. Quando o foco de trabalho está em um dos 3 sistemas – família, gestão e patrimônio – você não terá dificuldades em encontrar profissionais altamente qualificados para isso. Já se o objetivo for trabalhar questões específicas das empresas familiares, você terá que procurar um pouco mais. Contudo, muitas vezes, o que parece ser um problema de um dos três círculos – família, gestão ou propriedade – pode ser um disfarce de algo maior, que exija um olhar menos compartimentado da empresa familiar.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *