Relacionamento entre irmãos

– É o relacionamento mais longo e é para sempre

O relacionamento entre os irmãos, provavelmente, será o mais duradouro – Nossos pais são mais velhos do que nós, e se tudo acontecer conforme o esperado, eles morrerão antes de nós, da mesma forma como nós, morreremos antes dos nossos filhos. Além disso, conhecemos nossos cônjuges na idade adulta. Sendo assim, nossos irmãos serão nossos companheiros de vida, mais ou menos presentes.

Os irmãos podem romper os vínculos, parar de se falar, mas seu vínculo é para sempre, a origem é a mesma e isso não muda.

– Relacionamento com uma grande ambivalência de sentimentos

O relacionamento entre os irmãos é o maior laboratório do que vamos viver na vida. Com os irmãos experimentamos o amor, o ciúme, a rivalidade, a cooperação e o trabalho de equipe. é entre irmãos que prendemos a conversar com um igual (um par na hierarquia familiar), negociar a escolha do programa de tv, a história que será lida na noite antes de dormir, dividir os brinquedos, o espaço, a atenção dos pais.  Não há como negar a mistura de sentimentos.

Os pais as vezes imploram para que os irmãos se amem, não briguem, sejam amigos.  Ouvi isso varias vezes na minha casa, quando eu brigava com as minhas irmãs e já falei inúmeras vezes quando os meus filhos brigam!

Na verdade, eles são amigos, eles se defendem com unhas e dentes contra “agressores” externos. Ninguém pode falar mal do meu irmão! Mas ao mesmo tempo, os irmãos estão lado a lado negociando o tempo todo e muitas vezes se sentem “ameaçados” pelo irmão que é mais ou melhor do que ele em alguma coisa.

Os irmãos pertencem a um mesmo sistema (família), se reconhecem como pares, mas precisam se diferenciar, buscar o seu espaço de identificação, de diferenciação. É evidente que em todas as famílias existe o mais tímido, o mais extrovertido, o mais curioso, o mais engraçado, o mais inteligente, o mais levado.  Infelizmente os rótulos ainda são usados nas famílias e os membros da família se relacionam, uns com os outros em função desses rótulos.

Irmãos em casa e irmãos no ambiente de trabalho

É inevitável que os comportamentos de casa sejam levados para o ambiente de trabalho. Imaginem 2 irmãos jovens adultos que vão trabalhar na empresa da família, eles podem ser colega de trabalho há dois ou três anos, mas são irmãos há 20.

O relacionamento entre irmãos, em especial, a rivalidade fraterna, é um tema que aparece com muita frequência no campo das empresas familiares, sobretudo quando o pai precisa escolher um sucessor ou quando os irmãos são os responsáveis pela gestão da empresa – sociedade entre irmãos.

De forma bem resumida as dificuldades podem surgir quando a hierarquia na empresa é invertida, um filho mais novo assume a liderança, ou quando a liderança é compartilhada entre os filhos, mas os irmãos não conseguiram definir ou respeitar os papeis de cada um.

Mas o relacionamento entre irmãos traz muitos pontos positivos para a empresa, sobretudo quando a família consegue criar o capital fraterno, um conhecimento que surge dessa relação e pode ser uma força para as empresas administradas por irmãos.

Como fazer que a relação entre irmãos seja um ponto de força na empresa familiar?

Recentemente li o livro de Daniela Montemerlo, pesquisadora italiana, que defende a importância de criar o “capital fraterno”, algo que surge do relacionamento entre os irmãos.

É importante criar o “capital fraterno”

É feito de confiança, cooperação, comprometimento, valores, visão história, experiência e linguagem comum, comunicação, confronto (argumentações e discussões) e decisões. O capital fraterno é baseado principalmente em relações positivas de afeto e apoio

Como desenvolver o capital fraterno?

  1. Desafio pessoal – é a relação mais longa, se desenvolve ao longo do tempo e exige o comprometimento esforço e sacrifício de todas as partes
  2. Equilíbrio – cultivar alguns valores (princípios ou premissas) irrenunciáveis – complementariedade, trabalho de equipe (onde estão todos unidos pela excelência profissional), respeitar as posições hierárquicas, ter muito cuidado com a comunicação – entre os irmãos e entre outros atores externos, sejam eles funcionários cônjuges – para proteger a relação
  3. Os acordos familiares – geralmente os irmãos herdam os acordos da geração anterior, mas é preciso revê-los; os acordos precisam fazer sentido para a geração que está no comando – papeis, remuneração, entrada na empresa, formação dos mais novos etc
  4. exercício da liderança – se o estilo vai ser de co lideres ou um (líder) entre iguais

é preciso prestar atenção ao estilo de liderança que será desenvolvido na empresa pois alguns pontos podem causar conflitos no ambiente do trabalho

Quando os irmãos são muito próximos de idade, podem ter um relacionamento mais paritário em casa, estão todos no mesmo nível hierárquico, mas na empresa a hierarquia pode ser diferente – um pode ser o líder, o mais novo pode assumir a principal liderança

5. Definir o estilo de governança – conselho de administração, de família, assembleia de sócios etc

Se você conhece irmãos que trabalham juntos, envie o artigo para eles e os marque nos comentários.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *