Empresas familiares tendem a ser mais lucrativas que às suas equivalentes não familiares

O Credit Suisse,  fez uma pesquisa com as empresas familiares negociadas na bolsa de valores e trouxe dados super interessantes.

Foram avaliados:

  1. resultados de longo prazo
  2. desempenho durante a pandemia
  3. alinhamento com critérios sustentáveis ESG

Antes de entrar na pesquisa em si, quero trazer algumas informações sobre o ESG, de forma bem simples

ESG é um conceito antigo que vem ganhando muita força no mercado de investimento. 

Environmental Social e Governance

Se antes os investidores se preocupavam apenas com a performance financeira das empresas, hoje eles buscam investimentos sustentáveis ou socialmente responsáveis e é  por isso que este conceito está ganhando força agora.

É importante considerarmos o mundo de forma sistêmica – não dá pra negar a interdependência  entre os negócios, as pessoas e o ambiente em que isso acontece.

O ESG é um indicador utilizado para avaliar uma empresa em relação a sua governança e seus  impactos diretos e indiretos no ambiente e na sociedade. Em portugues podemos encontrar a expressão ASG de ambiental, social e governança.

  • Environmental  / Ambiental – envolve questões como:  (1) emissão de CO2 e mudanças climáticas, (2) crescimento da população, (3) biodiversidade, (4) segurança alimentar etc
  • Social – envolve questões como: (1) direitos humanos, (2) condições de trabalho, (3) trabalho infantil e (4) igualdade
  • Governança-  (1) qualidade e diversidade do conselho de administração, (2) melhores práticas de governança, (3) Remuneração, (4) direito dos acionistas.  Ou seja, se a empresa adota as melhores práticas de governança corporativa, como ter conselhos , praticar a transparência na prestação de contas, combater a corrupção e priorizar a ética.

Os dados do Credit Suisse indicam que as empresas com índices elevados de ESG apresentam performance melhores e maior resiliência. Veja aqui.

O Itaú publicou um relatório  recentemente mostrando que as empresas que adotam as melhores práticas ambientais, sociais e de governança conseguem aumentar a sua receita, reduzir custos, reduzir problemas legais, aumentar a produtividade e ainda otimizar seus investimentos. E assim, conseguem dar um melhor retorno financeiro aos seus investidores.  

Algumas razões que estão levando as empresas a se preocuparem com esse indicador: (1) os consumidores têm preferido cada vez mais produtos e serviços que se preocupam com o impacto ambiental; (2) existe uma consciência inquestionável de que ‘é importante reduzir (ou minimizar) a todo custo as mudanças climáticas; (3) existe uma cultura, também inquestionável de reduzir os desperdícios  em todos os sentidos ; (4) a capacidade de unir sustentabilidade econômica e a socioambiental tem sido cada vez mais valorizada por consumidores e investidores; e, para finalizar, (5) o surgimento de normativas que exigem uma maior responsabilidade das empresas pelos impactos causados por seus produtos e serviços.

Sobre a pesquisa The Family 1000

Foi analisado o banco de dados com com 1061 empresas , metade estão na Ásia 49%  e 2% no Japão, 24% na Europa, 14% na América do Norte 6% (63) na América Latina- destas 2 brasileiras e muito bem conceituadas / pontuadas no índice ESG – MRV e Sulamérica

Das  empresas analisadas, cerca de 250 tem até 25 anos, 350 tem entre 25 e 50 anos , 200 tem entre 50 e 75 anos , 100 tem entre 75 e 100 e 150 tem mais de 100 anos de atividade.

Também foi realizada uma pesquisa qualitativa com 145 empresas familiares e 124 não familiares para investigar o impacto da pandemia da covid 19.

Desde 2006 as empresas familiares têm dado retorno para os acionistas acima dos demais ( das empresas não familiares), sendo os maiores retornos na Ásia e Pacifico e os menores na América do Norte.

Alguns resultados

  • as empresas em que os fundadores tocam os negócios são mais alinhadas com os critérios sustentáveis ESG, em comparação às outras empresas.
  • as empresas familiares têm visão de mais longo prazo para os investimentos do negócio
  • as empresas familiares apresentam desempenho financeiro e lucro melhores durante a pandemia do COVID

A pandemia teve um impacto importante nos rendimentos e na volatilidade do mercado acionário. Contudo, as empresas familiares demonstraram sinais de maior resiliência durante a pandemia.

  • As empresas administradas / controladas por famílias tendem a ser mais defensivas e suportar melhor os momentos de dificuldade

as empresas familiares são mais atentas a sustentabilidade e obtém na média, score ligeiramente mais alto de ESG que as não familiares – na média pois no quesito governança ainda ficam atrás das empresas não familiares

O gráfico abaixo mostra isso

https://www.credit-suisse.com/about-us-news/en/articles/media-releases/family-owned-businesses-show-resilience-through-pandemic-202009.html

 

Você já conhecia esse conceito do ESG?

Você imaginava que as empresas familiares podem ser mais lucrativas do que as nao familiares?

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *