Ecos do evento (continuação)

Dando continuidade aos ecos do evento do dia 24/11 realizado na PUC-Rio

Antonio Carlos Vidigal é um dos principais nomes brasileiros em empresas familiares e foi com quem aprendi muito sobre o assunto. Vidigal fez uma apresentação super interessante sobre governança corporativa nas empresas familiares, da qual destaquei alguns pontos:

– O Brasil importa praticamente todas as teorias de administração dos EUA e naquele país, a grande maioria das empresas são “Public Companies”, ou seja, companias abertas com as ações pulverizadas na bolsa de valores. Aqui, diferentemente de lá, praticamente não temos public companies, todas têm um “dono” e, ainda existe uma tradição desse dono abusar do poder.

– Nas empresas SA o conselho é uma exigência legal, nas empresas familiares pode demonstrar uma preocupação com a gestão da empresa e com o patrimônio da família. AC Vidigal apresentou o papel do conselho nas empresas familiares, a saber:
a) ajudar o CEO a ser mais eficaz
b) insistir na existência de um planejamento
c) ajudar no estabelecimento de metas, e na tomada de decisões importantes
d) dar credibilidade e melhorar a imagem da empresa
e) atuar como arbitro ou mediador.
Entretanto, a existência do conselho ainda não é uma realidade nas empresas familiares brasileiras.

– O 3o. ponto de grande relevância na palestra do Vidigal foi a apresentação de um estudo realizado com empresas familiares brasileiras com mais de 100 anos em que ele pôde concluir que um dos fatores de sucesso dessas empresas era um baixo número de sócios.
Isto é, na medida que a empresa passa de uma geração para outra a tendência é que aumente o número de sócios. Uma empresa na 3a ou 4a geração vai ter um número significativo de pessoas para tomarem decisões e quanto mais gente para decidir sobre alguma coisa, mais longo e mais difícil é o processo. Assim, a existência de um número pequeno de sócios pode ser um fator crítico de sucesso.
Os dados dessa pesquisa estão no livro Viva a Empresa Familiar e, como o livro está esgotado, em breve farei um artigo sobre isso.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *