Os ecos do evento Empreendimentos familiares – da motivação inicial para empreender à necessidade de profissionalizar o negócio

Passei a última semana envolvida com a organização do evento que aconteceu no dia 24 de novembro na PUC-Rio.

Apesar da excessiva preocupação inicial – será que vai dar tudo certo? será que as pessoas vão aparecer? será que elas vão gostar? será que as comidinhas vão chegar na hora? Será que o ar refrigerado vai funcionar? Será que vai ter luz? – deu tudo certo!
Claro que imprevistos acontecem, entretanto, foram todos bem contornados.

Gostaria de nesses próximos posts trazer alguns pontos importantes do evento. Vale ressaltar que é uma grande satisfação poder receber meus alunos e seus pais para a palestra. Defendo a importância do diálogo nas famílias e, muitas vezes, cursar a disciplina de empresas familiares, discutir os textos em aula, levar os trabalhos para casa, facilita essa comunicação.

Eu fiz a 1a apresentação falando sobre a motivação inicial para empreender e a necessidade de profissionalizar o negócio. Os negócios crescem, muitas vezes, de forma desordenada, sem planejamento prévio, ao sabor da demanda até que chegam em um determinado momento em que para a empresa crescer é muito importante que ela passe por um processo de profissionalização.

Pode acontecer da entrada da geração mais nova na empresa ser o disparador desse processo.

Um dos pontos que eu enfatizei foi a questão da CONFIANÇA versus a COMPETÊNCIA. E isso está diretamente relacionado com a nossa cultura.

O povo brasileiro é muito desconfiado, acha que sempre tem alguém tentando tirar vantagem – a “lei de Gérson”, “o jeitinho brasileiro”, a “malandragem”, características da nossa cultura, faz com que as pessoas prefiram ter pessoas de confiança na sua volta e quem é de mais confiança do que os amigos e familiares?

Para que as empresas consigam lutar por seu espaço no mercado é muito importante que exista confiança, honestidade, ética, respeito e competência.

Contudo, quando pergunto aos meus alunos em Atitude Empreendedora, quais são as características dos empreendedores, ética, respeito, honestidade, integridade são características que nunca aparecem. Por que será? É básico, todos devem ter? Ou será que é porque poucos possuem tais características?

Em um momento em que o mundo fala da importância das empresas socialmente responsáveis, é preciso decidir sobre qual posição escolher.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *