Os aspectos relacionais (e afetivos) no planejamento estratégico das empresas familiares

O título desse comentário pode causar arrepios em diversos consultores que trabalham com empresas familiares. Na realidade não é essa a minha intenção mas gostaria de sugerir a inclusão de outros temas no planejamento dos negócios.

Nos posts anteriores escrevi sobre planejamento estratégico, expliquei o que é e apresentei algumas vantagens de realizar um planejamento.

Dizem que no Brasil ainda não existe a cultura de planejamento, e muitas vezes, quando existe um planejamento ele está na cabeça do dono da empresa que não sente necessidade de compartilhá-lo com a sua equipe de trabalho.

Entretanto, podemos dizer que a realização do planejamento estratégico vem ganhando espaço (e importância) nas agendas dos empresários. Também podemos afirmar que, apesar da proximidade entre família e negócio ser uma das principais características das empresas familiares, o foco do planejamento ainda é o negócio em si. Existe uma forte tendência em privilegiar a empresa e, em muitos casos, o patrimônio familiar acaba sendo mais importante do que os vínculos afetivos.

O planejamento estratégico de uma empresa familiar deveria incluir também os aspectos familiares para que assim, seja possível preservar o patrimônio sem destruir os laços afetivos. É muito comum que o estresse do dia-a-dia no trabalho somado às dificuldades relacionais do ambiente profissional “minem” o relacionamento afetivo e os familiares acabem se afastando, uns dos outros, e evitando o convívio familiar.

Pense na sua situação familiar.
Você gostaria de passar mais tempo com os seus familiares? A família não são só as pessoas que trabalham com você, é preciso considerar os conjuges, as crianças …
Você se sente bem quando está nas reuniões familiares? Elas são situações prazerosas ou fazem parte das suas obrigações sociais ?
Quando foi a última vez que você viu os seus sobrinhos? Quando foi a última vez que os primos brincaram juntos? Você está satisfeito com a proximidade e intimidade que existe hoje na sua família?

É muito importante pensar sobre essas questões e poder conversar sobre esses temas com os seus familiares. Pode parecer menos importante do que fazer os resultados dos negócios serem posistivos e crescentes; contudo, os resultados futuros dependerão do relacionamento presente. Os primos serão sócios do negócio e se eles não tiverem valores parecidos, não compartilharem as mesmas histórias poderão ter dificuldades para administrar a empresa da familia.

Pense nisso ! E, se possível, inclua os aspectos familiares no seu próximo planejamento.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *