O processo de construção da noção de consumidor consciente

No dia 15 de março foi comemorado o dia mundial do consumidor, e essa data nos faz pensar em uma série de coisas …

Será que existe a necessidade de se comemorar esse dia?

Bom, até bem pouco tempo não havia uma preocupação com o consumidor e nem mesmo os consumidores conheciam os seus direitos.  Hoje existe um código de defesa do consumidor que protege os consumidores e define algumas regras de bom relacionamento entre empresas e seus clientes.

Temos acompanhado, de forma lenta mas constante, um processo de construção da noção de consumidor consciente.  Vou explicar melhor.  Se em um passado recente as pessoas não conheciam seus direitos como consumidoras hoje uma grande parcela da população já ouviu falar no código de defesa do consumidor e já reclama pelos seus direitos.

Também já podemos afirmar que é cada vez maior a preocupação com o consumo consciente – as pessoas se preocupam com os estragos causados ao meio ambiente, com os desperdícios, com os processos de produção e com as condições de trabalho dos empregados.

Claro que essas coisas estão todas interligadas – os consumidores estão mais conscientes, os empresários estão  cumprindo seu papel na sociedade – se preocupam com lucro mas agora sabem que precisam estar atentos aos diversos atores envolvidos no seu negócio – sejam clientes, fornecedores, funcionários. Se o pensamento não  for sistêmico e integrado, as surpresas no negócio podem ser desagradáveis.

Podemos dizer que estamos acompanhando uma quebra de paradigmas. Os clientes que eram simplesmente consumidores passivos, hoje ditam o que o mercado deve oferecer, principalmente,  através dos  seus desejos e das suas necessidades. A competitividade nos negócios pode estar relacionada com a capacidade de apresentar soluções criativas (ou pelo menos simples e adequadasa) aos problemas dos clientes. Quem estiver atento aos clientes, tem grandes chances de inovar.

E, como em todo momento de quebra de paradigma, encontramos pessoas que saberão aproveitar as novas oportunidades e aquelas que se lamentarão pelo tempo que passou e não volta mais. Estamos no meio de um processo de mudança e cabe a cada empresário decidir qual  postura adotar.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *