O “como” planejar a sucessão em cada momento

Nos posts anteriorese escrevi sobre o momento ideal para dar início ao planejamento da sucessão, ou melhor, à prepararção dos herdeiros dentre os quais pode estar o sucessor.

Dependendo da faixa etária da geração mais nova (a que deve ser preparada) algumas ações podem ser implementadas.

Quando os membros dessa geração mais nova ainda são crianças, o cuidado maior deve vir de casa, dos pais. Os filhos aprendem a partir da observação daquilo que seus pais (seus heróis) fazem. Aquela frase “faça o que eu digo mas não faça o que eu faço” não funciona, na realidade o que fica registrado na cabecinha das crianças é o que os seus pais fazem.

Em algumas famílias as crianças aprendem, desde cedo, que “é importante trabalhar”, que “o dinheiro é a recompensa pelo trabalho sério”, que “não dá pra ter tudo o que a gente quer”. Em outras famílias, os pais, por acreditarem que o mundo já é duro e cruel o suficiente, ou por se sentirem culpados por não estarem tão presentes e tão disponíveis, acabam mimando seus filhos … é como se essas crianças vivessem em uma bolha, afastadas de realidade. Se elas não aprenderem a lidar com os sentimentos de perda e de frustração em casa, com pessoas queridas os apoiando, vai ser mais difícil lidar com tais sentimentos no futuro.

Quando os filhos já são maiores podem participar de iniciativas formais, como os grupos de herdeiros, e podem participar de discussões em casa que envolvam “gastos/investimentos” como as próximas férias, a compra do carro novo e até de encontros em que o assunto seja o negócio da família. Isso pode ser feito de uma forma mais direta – explicando como as decisões são tomadas ou falando sobre os clientes, fornecedores, ou, ainda, de uma forma indireta, com questões mais amplas sobre empreendedorismo, análise de setor, planejamento de negócios, inovação, tendências etc.

Se os membros dessa geração mais nova já trabalha na empresa mas ainda não têm poder de decisão podem participar de uma espécie de Conselho – o Conselho Jovem – com o objetivo de discutir aspectos do negócio. Eles são observadores participantes da gestão da empresa.

Outra questão é a frequência desses encontros …. depende da disponibilidade e, principalmente, do interesse dos envolvidos na preparação.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *