É possivel separar o que é pessoal daquilo que é profissional?

Se pensarmos na relação de “ contem e está contido”, vamos perceber que a vida profissional está contida na nossa vida pessoal, não dá pra separar! Entretanto, cada um de nós divide sua vida em tempo para estar com a família, tempo para trabalhar, tempo para descansar, tempo para viajar … cada um escolhe o que fazer e como dividir o seu tempo da melhor maneira.

Quando as pessoas trabalham com os seus familiares essa separação não é nada fácil. Certamente é possível definir o espaço para estar com a família para lazer e o espaço para o trabalho. É possível definir as regras, os padrões de funcionamento em um ambiente e no outro, mas não é uma tarefa fácil.

Quando a empresa está na geração do fundador parece mais fácil, a hierarquia que vale na família, vale também na empresa. O pai é o patriarca, o chefe da família, e também o dono da empresa. Já em uma empresa de 2ª geração, por exemplo, pode acontecer do irmão mais novo ser o presidente da empresa, o que pode ser considerado uma hierarquia incongruente, já que o filho mais velho viria primeiro em uma escala hierárquica familiar.

Na família, os relacionamentos afetivos estão em primeiro lugar, na empresa o que deveria prevalecer é a relação profissional, a competência e a capacidade dos funcionários (familiares ou não) para fazer o negócio crescer. Contudo, observamos na nossa prática que o nepotismo é uma característica marcante em muitas das empresas familiares e que traz uma série de desvantagens para esse tipo de organização. Nos próximos posts abordaremos algumas dessas desvantagens.

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *