Algumas conclusões desse 1o mes divulgando o site

Faz tempo que trabalho com esse tema das empresas familiares e desde o lançamento do site tenho conhecido e conversado com muitas pessoas sobre esse assunto. Dessas conversas tirei algumas conclusões:
– todo mundo tem uma história (de empresa familiar) para contar;
– para muita gente, empresa familiar ainda é sinônimo de empresa informal;
– sucessão empresarial nas empresas familiares é o tema que parece despertar o maior interesse das pessoas em geral, pelo menos, de quem já leu ou estudou o tema;
– muitos consultores que trabalham com empresas familiares estão focados, principalmente, na questão da gestão da empresa.

De fato, quando iniciei o trabalho e tive a idéia de colocar o site no ar eu imaginava o cenário exatamente dessa forma, e agora posso dizer que constatei o que fazia parte da minha imaginação.

Como grande parte da empresas são familiares, todo mundo tem uma história para contar – quem não tem uma empresa na família pode trabalhar na empresa de outra família ou conhece alguém que tem ou trabalha em uma empresa familiar.

Muitas das empresas familiares estão na 1ª geração (as estatísticas demonstram que apenas 30% passam para a 2ª geração) e, as empresas mais novas tendem a ser mais informais. Conforme as empresas crescem, elas precisam se profissionalizar e, em muitos casos, contratam consultores que podem ajudá-las nesse processo e o foco de trabalho é mesmo a gestão da empresa. Entretanto, é praticamente impossível separar empresa e família, até porque, como a gente observa na prática, a família influencia na empresa e a empresa também influencia na família.

Os donos das empresas familiares buscam ajuda externa (de um consultor) quando querem melhorar seus processos, a gestão da empresa, ou quando precisam passar pelo processo de sucessão e, é por isso que o assunto mais estudado e mais comentado é a sucessão empresarial nas empresas familiares.

Sobre o dia a dia da empresa, sobre os conflitos existentes entre as gerações, sobre os conhecimentos diferentes, mas complementares das gerações, sobre a motivação ou a necessidade de entrada da geração mais nova na empresa da família encontramos poucos estudos. Talvez por serem assuntos de famílias, existe uma tendência de preservá-los em ambiente privado.

Quais são as principais questões enfrentadas por quem trabalha em empresas familiares? Certamente as questões do dono são diferentes das questões dos funcionários ….

Aguardo os comentários

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *