a relação entre a geração dos dirigentes e a profissionalização das empresas

 

No post anterior comparei o mercadinho de bairro à cadeia de supermercados Wal-Mart.. Como assim? São empresas tão diferentes!!!!

 

Talvez o dono do mercadinho do bairro tenha apenas uma loja, a família do Sr Sam Waltom tem diversas lojas espalhadas em 15 países.

 

Embora a definição de empresa familiar possa ser feita em função da proximidade e do envolvimento da família com o negócio, podemos diferenciá-las pelo tamanho, área de atuação, geração dos dirigentes etc.

 

De fato, uma empresa de 1ª geração é bem diferente de uma empresa que já está na 4ª geração, por exemplo. Quanto mais antiga for a empresa, maior será o seu grau de profissionalização.

 

Uma empresa de 1ª geração é aquela em que o dono da empresa, o seu fundador, ainda é o principal responsável pela tomada de decisões. Conforme a empresa cresce, ele não tem como dar conta de tudo e precisa delegar tarefas, funções e responsabilidades a outras pessoas. Até que chega um momento em que ele precisa passar o comando da empresa para outra pessoa e acontece o 1º processo de sucessão.

 

As estatísticas mostram que a cada 100 empresas familiares, apenas 30 passam para a 2ª geração, 15% passam para a 3ª geração e apenas 4ou 5% conseguem passar para a 4ª geração. As razões são várias, mas esses dados nos fazem pensar que o mais difícil é passar da 1ª para a 2ª geração.

 

Acho que a próxima pesquisa no site será sobre a idade das empresas …

 

 

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *