O impacto da família no desenvolvimento dos empreendedores

Nesse post quero falar sobre o papel da família, e, em especial, o das mães dos empreendedores (já que estamos no mes das mães!) no desenvolvimento da carreira dos seus filhos.

Como professora de empreendedorismo, já participei de discussões calorosas sobre o tema – seja em rodas de amigos, em salas de aula, ou em defesas de mestrado e ainda não foi possível chegar a um consenso sobre diversas questões.

Empreendedorismo é algo inato ou pode ser desenvolvido? As pessoas já nascem empreendedoras?   Particularmente acredito na possibilidade de formar empreendedores, sendo empreendedorismo uma atitude diante a vida, relacionada com a possibilidade de fazer escolhas, construir coisas, adotar outros e novos itinerários.

Recentemente assisti a um filme comercializado pela Siamar recursos para treinamentos sobre o impacto exercido pelas mães dos empreendedores em suas carreiras. 

Lemonade Stories é um filme produzido pela Fifty Eggs (EUA), com o apoio do Babson College, que conta a história de sete empreendedores. O título vem da expressão “pegar limões e fazer limonadas”, ou seja, tentar achar um modo de aproveitar os limões da melhor forma.

Os empreendedores do filme fazem um agradecimento às suas mães por elas terem sempre acreditado na capacidade de realização, por terem estado sempre  por perto, por terem dado  amor, força, independência, liberdade e coragem aos seus filhos. Na opinião dos empreendedores do filme, suas mães foram suas principais incentivadoras.

Claro que não existe uma fórmula para isso, as histórias contadas no filme são muito diferentes, entretanto, uma coisa elas têm em comum: os pais e, em especial, as mães, permitiram que seus filhos descobrissem novos caminhos e, mais, deixaram que eles enfrentassem os desafios que apareceram no caminho. A necessidade de enfrentar desafios, quando comparado ao sucesso fácil graças à intervenção dos pais parece ser um impulsionador da atitude empreendedora.

Hoje vemos pais muito mais preocupados em preparar o futuro dos filhos do que em preparar seus filhos para enfrentar o futuro. Qual é a diferença?

Não temos como prever qual será o futuro dos nossos filhos, nem quando tentamos prepará-lo, mas se pudermos ensinar aos nossos filhos a lidar com as incertezas, a avaliar as situações, eles poderão enfrentar os desafios que certamente aparecerão, com mais tranqüilidade.

Pense nisso!

 

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *