A importância de dar e receber feedbacks

 

Apesar de feedback ser um termo bastante utilizado no nosso dia a dia, muitas pessoas ainda não conhecem o seu significado.

 

Feedback =  é o retorno de informação; dar um feedback significa fornecer informações a alguém sobre o seu comportamento.

 

Uma sessão de feedback nos oferece a oportunidade de falar sobre os comportamentos das pessoas que nos afetam de forma positiva e que, por isso, queremos reforçar, ou daqueles comportamentos que nos afetam negativamente, razão pela qual, gostaríamos que fossem modificados. Podemos dar feedbacks para colegas de trabalho, para amigos e para os familiares.

 

Feedback não é prestar contas sobre o trabalho de alguém, nem um processo de avaliação de desempenho. Também não se trata de julgar pessoas e suas intenções, seu foco está nos comportamentos das pessoas e nos impactos “positivos” ou “negativos” que os mesmos causam nos relacionamentos, sejam eles pessoais ou profissionais.

 

Os feedbacks deveriam acontecer naturalmente ao longo do processo (ou do tempo) de trabalho ( e ou de relacionamento) sem que as pessoas se sentissem desconfortáveis com ele, entretanto, ainda existe no Brasil, uma cultura muito forte em apontar os defeitos do outro e esquecer de elogiar os comportamentos positivos.

 

Isso acontece no ambiente de trabalho, mas também acontece com muita freqüência no nosso dia a dia. Se alguém nos elogia, diz que estamos mais bonitos,  ficamos sem graça e, prontamente respondemos “São os seus olhos”  ou então “mas essa roupa é tão velha!”

 

Contudo, quando alguém critica um trabalho nosso; imediatamente, ficamos na defensiva e ainda, consideramos uma crítica pessoal e não a um determinado  trabalho ou comportamento.

 

No ambiente profissional, um trabalho bem feito, que poderia (e deveria) ser elogiado, muitas vezes, é visto, como “uma obrigação” e aqueles funcionários que deixaram a desejar, são tolerados. Seus erros são “empurrados com a barriga” até que alguém extrapola e, em vez de dar um feedback – indicando o comportamento que deveria ser modificado e fornecendo orientações nessa direção – dá uma bronca. 

 

Quem nunca sentiu isso na pele, com certeza, conhece alguém que já passou por uma situação como essa.

 

0 comentários

Faça um comentário

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *